Hidrelétrica Coaracy Nunes completa 43 anos

Hidrelétrica Coaracy Nunes completa 43 anos

Em 13 de janeiro de 1976, Ernesto Geisel, então presidente do Brasil, inaugurou a primeira hidrelétrica da Amazônia brasileira, a Usina Coaracy Nunes. Era a realização de um sonho que começou 50 anos antes, com os primeiros estudos de aproveitamento hidráulico da região do, à época, recém-criado Território Federal do Amapá. Localizada no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes, à cerca de 140 km da capital Macapá, a Usina é um empreendimento pioneiro, considerado a “pedra fundamental” da Eletronorte e a mola propulsora de obras como as hidrelétricas Balbina, Samuel e Tucuruí.

Inicialmente denominada Usina do Paredão, por aproveitar uma queda d’água de quase dez metros batizada de cachoeira do paredão, Coaracy Nunes homenageia o deputado federal de mesmo nome, um dos idealizadores da hidrelétrica. A conclusão da Usina foi a primeira missão da Eletronorte no campo da geração hidrelétrica. Suas obras iniciais foram realizadas pela Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) e, após interrupção de sete anos, assumidas em 1971 por uma Superintendência de Obras criada pela Eletrobras. Somente em 1974, por meio do Decreto nº 74.303, a Eletrobras Eletronorte encamparia os bens e instalações vinculados à Usina e seu sistema de transmissão, finalmente concluindo a obra dois anos depois.

Coaracy Nunes entrou em operação comercial com um total de 40MW de potência (hoje são 78MW), substituindo geradores a diesel, e foi responsável pelo desenvolvimento socioeconômico da região e pelo fomento da indústria de comércio e minério, com a exploração de manganês na Serra do Navio. Desde 2015, Coaracy Nunes faz parte do Sistema Interligado Nacional (SIN), produzindo energia elétrica para o mercado brasileiro.

Comentar no Facebook

No Comments

Post A Comment